Criminosos isolam comunidade no Rio durante operação policial

Criminosos isolam comunidade no Rio durante operação policial

A Polícia Civil do Rio iniciou hoje (5) uma operação conjunta da 90ª Delegacia de Polícia (Barra Mansa), com o apoio da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core), em Senador Camará, com desdobramentos na comunidade Vila Aliança, em Bangu, na zona oeste. 

Moradores assustados relataram, por redes sociais, que estavam isolados e temiam ações de criminosos que circulavam fortemente armados a pé e com motos. Uma das postagens disse: “A bandidagem está pintando e bordando nas comunidades. Vila Aliança está completamente isolada”. Outras postagens pediam para que a região fosse evitada.

Segundo a Polícia Civil, o motivo da ação é o cumprimento de mandados de busca e apreensão e de prisão expedidos pela 1ª Vara Criminal de Barra Mansa, no sul fluminense. A Polícia Militar também chegou à comunidade, mas enfrenta dificuldades de acesso. Um morador, que teria sido atingido por um tiro, e um suspeito baleado, teriam morrido no confronto. A reportagem da Agência Brasil pediu a confirmação da informação, mas aguarda a resposta da Polícia Civil.

Para dificultar a entrada dos policiais, as principais vias da comunidade foram obstruídas por barricadas instaladas pelos criminosos. Imagens de televisão mostraram desde cedo pelo menos quatro ônibus atravessados para impedir a passagem nas ruas, além de caminhões. As barricadas foram feitas também com pneus, tábuas com pregos e trilhos de ferro.

A SuperVia, concessionária responsável pelo serviço de trens de passageiros no Rio, disse que as estações próximas não sofreram impacto com a operação. Essa era uma das preocupações demonstradas também em redes sociais por pessoas que usam os trens em seus deslocamentos.

Inteligência

Segundo a Secretaria de Estado de Polícia Civil, a operação é resultado de um trabalho de inteligência. “Um dos alvos da operação já ficou preso durante 16 anos por diversos crimes, entre eles, por ter matado um policial no Rio de Janeiro”, informou, em nota, a secretaria.

O trabalho de inteligência identificou “potencialidade lesiva dos alvos”, suspeitos de crimes de tráfico de drogas e homicídios e de possível vinculação com facção paulista. “Os alvos são responsáveis pela criação e manutenção de um eixo Rio-São Paulo no tráfico de drogas. A organização fluminense, em associação com a facção de São Paulo, já teve uma refinaria de drogas estourada recentemente, com várias prisões”, afirmou.

Segundo a secretaria, na operação de hoje foi presa uma pessoa, diretamente envolvida com a facção no sul do estado do Rio, que já tem passagem pela polícia. Além disso, um homem, armado com um fuzil e uma pistola, fez disparos contra policiais em um dos locais de busca e apreensão. O criminoso, que também tinha diversas anotações policiais, foi baleado no confronto e socorrido.

Durante as investigações foram realizadas quatro prisões em flagrante, entre elas, a do líder de uma facção no bairro Vale Verde, em Volta Redonda. Lá, o criminoso e mais dois homens foram surpreendidos em uma refinaria de drogas, que funcionava em uma casa de luxo no bairro Laranjal.

A Polícia Civil informou que na ação foram apreendidos seis quilos de pasta base de cocaína, quatro veículos de luxo, 13 aparelhos celulares e produtos diversos para a manipulação e mistura das drogas.

Na operação, ainda em andamento, foram apreendidos 48 quilos de pasta base de cocaína e 12 veículos adquiridos pelo grupo criminoso com o proveito do crime, alguns deles utilizados no transporte das drogas do estado de São Paulo para o Rio de Janeiro.

* Matéria alterada às 14h59 para troca de título e acréscimo de informações

Fonte: Agencia Brasil

Itatiaia FM

× WhatsApp